ANTECIPANDO O DIA DA MENTIRA

 

     Pois é, o Dia da Mentira chegou mais cedo  . Pelo menos na cidade de São Paulo.

     Não que tenham mudado a data "histórica/comemorativa/folclórica/festiva". É que o prefeito José Serra, que quando foi candidato à prefeitura da capital paulista, jurou que não ia deixar o cargo para concorrer à nenhum outro cargo público no período do seu mandato (não sei se ele estava com os dedos cruzados quando falou isso ...)

     E o "Mr. Burns" paulistano  vai sair candidato à Governador (na verdade ele queria ser candidato à Presidente, mas acabou dando Alckmin no PSDB). Mas ele ainda vai ter que encarar outro José  (o Anibal) pra sair como canditado ao Governo pelo partido tucano.

     Mas se você, de repente, acha que isso é pouco, não se preocupe  : estamos em ano de eleição,e teremos mentiras de todas as siglas partidárias para ouvir até depois da eleição. Basta saber em que mentiroso vamos querer acreditar  ...

O FUNDO DO POÇO E O POÇO SEM FUNDO...

 

     O jogador da Seleção Brasileira de futebol Ronaldo deu uma entrevista para o Fantástico no último domingo(engraçado como o pessoal da Seleção parece só falar com os repórteres da Globo... ).

     Nessa entrevista, ele falou sobre as declarações que outros jogadores fizeram sobre ele (Platini disse que ele está "gordo" ) e, após ter perdido um pênalti num jogo do seu time, o Real Madri, Ronaldo diz ter chegado ao "fundo do poço".

     Pois bem, ele, Ronaldo, que entre outras coisas:

     -Tem o apelido de Fenômeno;

     -É Embaixador da ONU;

     -Foi eleito o melhor jogador do mundo por três vezes;

     -Foi campeão do Mundo com a Seleção por duas vezes (seriam três se não tivesse aquele problema da convulsão...);

     -Voltou a jogar depois de ter sofrido uma operação delicada no joelho;

     Se com todo esse currículo o Ronaldo chegou ao fundo do poço por ter perdido um pênalti, o que dizer de nós, pobres mortais pobres  (não que ele não seja mortal, mas é um "pobre mortal milionário" )?? Só posso chegar à uma conclusão: ele está no fundo do poço e nós num poço sem fundo!!!

     (p.s.: isso é para enganar os adversários do Brasil na Copa...)

A NOITE EM QUE O LUAU FOI PARA O ESPAÇO.
     Estava tudo perfeito para o luau do Teatro Mágico que já estava programado a umas duas semanas. Até a chuva que apareceu nos últimos dias e parecia ser uma ameaça contrariou as previsões das moças-do-tempo e não molhou a Terra Da Garoa no dia 09/03. Então, fiz alguns contatos por telefone e descobri que algumas presenças que eram tidas como certas, estavam canceladas: Wellington e família por conta de atrasos na manutenção de uns computadores na escola de Informática que ele administra e o Silvinho MK ficou preso no trabalho até altas horas e ligou dizendo que não poderia mais ir. Com isso, fora a possibilidade de aparecer alguém que eu mandei e-mails convidando para o evento que aconteceria no Sesc Pinheiros, as presenças garantidas seriam a minha, de minha senhora Adriana  , do Leandro e de sua namorada Gisele.

     Enquanto esperava a Adriana se decidir com que roupa iria (e que decisão difícil...) resolvi tomar mais um copo de vitamina de abacate que ela tinha feito minutos antes (uma maravilha de vitamina!!!). Alguns copos de vitamina depois, Adriana aparece vestida num belo vestido branco dizendo que levou em consideração a minha dica sobre o que ela deveria vestir (" vista algo confortável" foi a sugestão que eu fiz). Então, fomos de carro até a casa do Leandro para que fizessemos o embraque definitivo no 'Lê-Movel' (era uma quinta-feira e a placa do meu carro se enquadra no rodízio nesse dia). Depois de uma olhada rápida no guia de ruas que eu havia levado e combinado o percurso, Leandro assumiu o papel de piloto da empreitada e fomos ao encontro da Gisele para então fecharmos o grupo na expedição rumo ao Sesc Pinheiros.

     Para surpresa de nós três que estávamos no 'Lê-Movel', Gisele também aparece de vestido branco. Achamos um tanto curioso a coincidência e Leandro questionou se vestido branco tinha alguma relação com luau. Como não havia uma resposta lógica, simplesmente deixamos as teorias sobre vestuários de lado e finalmente pegamos o rumo das Marginais (não sem antes Gisele parar para comprar um refrigerante para acompanhar os salgadinhos que estavam com ela) .

     Tudo corria muito bem: como trilha sonora, estávamos ouvindo o "Acústico MTV" do Kid Abelha, talvez para já entrar no clima dos violões que tomariam conta do luau. Mas como nem só de acertos é feita a vida ( e muito menos os passeios...) tudo mudou num passe de mágica, como uma chuva que cai de repente em São Paulo: sabíamos que num determinado ponto da marginal Pinheiros iríamos pegar a ponte Bernardo Goldfard (?) , que por questões estéticas estava sendo chamada de "Ponte Mequetréfe", mas por um problema de conversão, acabamos na ponte Eusébio Matoso e infelizmente na avenida de mesmo nome. Daí pra frente foi só doideira: num verdadeiro inferno de ruas com mão única, obras da prefeitura, obras do Metrô, meus problemas de canhoto para distinguir "esquerda e direta" e outras maluquices de trânsito, nos perdemos da rota original. Para piorar a situação, conseguimos selecionar os melhores informantes de informação errada de Pinheiros:

     Primeiro, entrei num bar para perguntar como chegar no destino desejado e o meu informante me disse com uma calma etílica:
     -Vire à esquerda; no segundo farol vocês virem à direita e "pam": já estarão no Largo da Batata e aí "pam": a rua que você quer está de frente.
     Vários "pans" depois agradeci aos céus por não ter passado nenhuma moto soltando fagulhas pelo escapamento no momento em que ouvia as orientações do camarada, senão seríamos dois homens-bomba na porta do bar ( e ainda falam do bafo da onça...)
     Depois foi a vez de um motorista de carro fúnebre nos "orientar". Pela janela, Gisele perguntou: "O Sr. sabe onde fica a rua Paes Leme?".
     -Claro!!! Me sigam.
     Algumas esquinas depois, o atencioso senhor pára o carro do lado do nosso e pergunta:
     -Vocês querem ir para Braz Leme não é??
     O coro foi inevitável: "É 'Paes Leme' e não 'Braz Leme" . Descobrimos que aquele senhor não ia nos levar para onde queriamos ir. Ainda bem que não era para onde ele estava acostumado levar seus passageiros...
     Pensamos em perguntar para algum motorista de taxi ou de ônibus, mas não conseguimos parar do lado de nenhum. Aliás conseguimos sim, mas eles olhavam com um certo estranhamento que levou a Adriana a comentar: "Acho que eles estão pensando que estamos indo para algum encontro de mães-de santo!" . Realmente era bem curioso. Isso é que dá duas mulheres com vestido branco...
     Várias voltas em torno do mesmo quarteirão depois, resolvemos fazer a última tentativa de conseguir uma informação decente, afinal a apresentação já havia começado à meia hora. Então, Gisele e eu tentamos encontar alguém numa drogaria. Pegamos logo um senhor na porta:
     -O senhor mora por aqui??, perguntamos ansiosamente.
     -Sim, moro sim. Por que??
     -É que queremos ir ao Sesc Pinheiros, mas já rodamos por todo o bairro e não encontramos a rua Paes Leme.
     -Paes Leme, Paes Leme...não me é estranho esse nome. Ah, sim!!Já sei!! Vocês façam o seguinte: pega essa rua direto, vira à direita e depois à esquerda no farol. Lá embaixo vocês vão encontrar uma rua, mas peraí, essa rua é contra-mão...Então faz o seguinte...
     Nisso chega um rapaz que eu imagino que seja filho do nosso atual informante e é questionado pelo mesmo:
     -Paes Leme não é a rua do estúdio??
     E o rapaz responde com uma voz de "fim de frase de Dragão" ( aquela voz meio cavernosa porém sem força que sai da garganta dos Dragões quando eles terminam de soltar fogo pela boca. Já ouviram??) :
     -Eeehh!!
     E o senhor volta a nos "explicar":
     - Então é assim : vocês vão até o fim dessa rua, no terceiro farol virem à esquerda...

     Já estava me segurando para não dar risada. Nem era do esforçado senhor, mas de toda a situação. Estava mais fácil encontrar um novo caminho para as Índias do que chegar na rua que ficava no quarteirão de trás, mas por conta das ruas de mão única não era tão fácil de chegar. Resolvemos abortar a missão e voltar para casa, pois já fazia mais de 45 minutos que o luau tinha começado.

     Pegamos o caminho de volta muito frustrados com tudo aquilo que havia acontecido. A trilha sonora da volta foi Pearl Jam, talvez para espantar a frustação. Mas todos tinham em mente algo para que a noite não fosse totalmente perdida : Gisele queria assistir o capítulo que ela tinha gravado da noite anterior da série "Lost", pois ela estava meio 'perdida' na história. A Adriana estava querendo saber quem seria o novo líder no BBB. Leandro que também é viciado nesse negócio de reality show pisou fundo para chegar em casa à tempo de ver o tal lider da semana. E eu não parava de pensar na vitamina de abacate que estava me esperando na geladeira. Afinal, nada melhor que uma bebida forte para afogar uma frustração. Então, "Viva a vitamina de abacate!!" . E saúde!!!
UM PASSEIO NO PASSADO
    Nesses últimos dias fiz algumas viagens ao passado. Não que eu tenha conseguido uma carona na DeLorean do Dr. Brown (que passeio maravilhoso seria... ). Eu simplesmente abri o velho baú de discos que tenho lá em casa e passei a ouvir aquele bom e velho chiado que o vinil tem. Os mais entendidos dizem que o som de uma gravação em vinil é muito mais "real" do que se forem ouvidas num CD . Não sei até que ponto isso é verdade, mas com certeza "We will rock you" do Queen é muito mais impactante quando ouvida num toca-discos do que num CD, pode fazer o teste caso ainda tenha uma vitrola (também era chamada de "Sonata", "Electrola", e por aí vai..  ).

    O fato é que, numa dessas visitas aos passado, ao mostrar um dos meus "fósseis sonoros" para um amigo ouvi a seguinte frase: "Caramba, faz tempo que eu não vejo um disco!". Depois disso fiquei um tanto quanto pensativo  : tem gente que nunca viu um disco de vinil  !!! E pelo caminhar da carruagem (outra velharia!) em pouco tempo o CD estará condenado também!!! Essa febre do MP3 está fazendo com que a música se torne cada vez menos "palpável" e mais virtual .

    Já perdemos muito em questões visuais quando o LP deu lugar ao CD, afinal uma capa de disco é infinitamente mais bela do que a de um CD  . Posso citar dois exemplos: tenho em casa as versões em LP e CD dos discos "Legião Urbana", que é o álbum de estréia e  leva o mesmo nome da banda e "Ten" do Pearl Jam e posso afirmar que as capas dos "bolachões" dão de lavada nos prateados. A capa da Legião tem uns detalhes em alto-relevo que são fantásticos  . Já a do Pearl Jam tem a foto completa, ao contrário da capa do CD que só aparece as mãos dos caras . Agora com esse negócio de MP3 e download, nem capa pela metade vamos ter  ...

    Esse passeio no passado foi muito bom para ver que estava tudo no lugar , mas é meio chato achar que era um pouco melhor. Talvez seja essa minha mania de nostalgia  ...

    Essa tal nostalgia me fez criar uma "lista de desejos do passado", com alguns itens "lá de trás" que eu teria hoje numa boa . E lá vai ela:

   -Um Gurgel BR 800;
   -Uma moto Vespa;
   -Uma bola de capotão;
   -Uma Toca dos Gatos dos Thundercats;
   -Uma camisa do Corinthians do tempo que não havia a dominação dos patrocinadores;
   -A coleção do Manual do Escoteiro Mirim da Disney;
   -Um pacotinho de Dip Lik (minha mãe vivia dizendo que aquele pó fazia mal);
   -Um contra-baixo no modelo do Paul McCartney
   -Um show da Legião Urbana;
   -Um show dos Beatles;
 
    Talvez a lista fosse um pouco maior se a minha memória que beira os 30 não me deixasse na mão de vez em quando e resolveu fazer isso agora que eu escrevo  .Creio que deva realmente pegar uma carona com o Dr. Brown  ...
FAÇA O QUE TIVER QUE FAZER

 

     Aconteceu algo triste onde trabalho. No plantão da noite de 28/02, um senhor que trabalha num outro setor do hospital (eu trabalho na Farmácia e ele na Gasoterapia) após ter jantado foi se deitar para, segundo ele,"descansar um pouco". Não voltou mais. Morreu de ataque cardíaco fulminante.

     Mesmo sabendo que a única certeza que temos nessa vida é que ela vai acabar um dia (não sabemos se teremos filhos, quantos serão, se ficaremos ricos,se ficaremos doentes, se vamos ser felizes, se vamos connhecer as Pirâmides, etc), às vezes não temos consciência desse fato.

     Por isso, creio que devemos viver tudo o que a Vida nos proporciona, pois quando chegar a hora de "descansar", teremos feito tudo que nos foi possível.

     E que Deus abençoe todos nós.

PARA OS QUE SOFREM DE PREGUIÇA:

 

     Bem, esta semana eu encerrei a leitura da obra de George Orwell, o livro "1984". Esse foi um dos livros mais perturbadores  que eu já li e devo dizer que fiquei muito impressionado com a narrativa e o desfecho do livro.

     Como sei que, apesar de já ter indicado esse livro para um monte de pessoas, várias dessas não irão ler o já citado livro . Então, para facilitar a vida desses que sofrem do "mal da preguiça literária" , vou colocar um atalho para um resumo comentado de "1984" que encontrei na internet.

     Convido até os que eventualmente já leram o livro para visitarem essa página, pois se trata de um resumo comentado do livro e algumas coisas que passam batidas na leitura se tornam mais evidentes ao ler esse tal resumo. Mas lembrem-se: NENHUM resumo substitui a leitura integral de um livro!!! Então, faça um favor para você mesmo e leia "1984" .

     www.duplipensar.net/george-orwell/1984-orwell-resumo.html

 

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, ITAIM PAULISTA, Homem, de 36 a 45 anos, Música, Arte e cultura, Futebol

 
Visitante número: