'''

      "NÃO CUSTA TENTAR"

 

 

     Nem que seja por um segundo, vou tentar não falar tudo que eu penso.

     Nem que seja por dez segundos, vou tentar não escrever tudo que eu devo.

     Nem que seja por um minuto, vou tentar  não responder tudo o que me perguntam.

     Nem que seja por quinze minutos, vou tentar não discutir por bobagem.

     “Às vezes te odeio pro quase um segundo, depois te amo mais...”

DE VOLTA Á INFÂNCIA

 

    

Esse final de semana do dia das crianças foi, pra mim, muito bom. E justamente por causa de fatos que me trouxeram de volta essa fase da vida.

     O começo de tudo foi no sábado. Ao ligar a TV e dar um giro pelos canais, tive uma agradável surpresa ao me deparar com um episódio do Snoopy, uma das séries de animação mais bacanas que eu já assisti na vida. E foi um desenho de uma hora de duração, sem intervalo. Pude constatar como é boa a trilha sonora (basicamente instrumental) e o enredo que é sem igual. Sempre gostei de desenhos e histórias de turmas (como o livro "Os meninos da rua Paulo", por exemplo), e Snoopy faz bem esse papel. A exibição foi no SBT, e não resisti: mandei uma mensagem pra lá pedindo que a exibição fosse sempre aos sábados. Quem sabe dá certo...

     No domingo, depois de ver a exposição de algumas obras de Aleijadinho (isso é um assunto para um outro texto), foi ver uma exposição que está acontecendo no Espaço Cultural da Caixa, na Pça. da Sé, sobre os programas infantis da TV Cultura. Parecia que estava numa máquina do tempo. Na exposição, tem fantasias de personagens que, de certa forma, foram meus companheiros de brincadeiras e diversão quando criança. Assistia muito os programas da TV Cultura, principalmente Bambalalão, que eu cheguei até a assistir uma gravação. Viajei ao poder rever as roupas do Prof. Poropopó, os bonecos João Balão e Maria Balinha. Mas a exposição também tem as roupas dos personagens mais recentes, como do Castelo Rá-Tim-Bum, Ilha Rá-Tim-Bum, Cocoricó, etc. E mais antigos, como Garibaldo da Vila Sésamo, que apesar de conhecer, minha memória de 30 anos não se lembra bem. Essa exposição vai até o dia 09/12 e vale à pena ser conferida por "crianças" de todas as idades.

     No final, fiquei com saldo positivo no dia das crianças. Se antes eu ganhava presentes, eu ganhei, no presente, algo me levou de volta ao passado.

 



 

VALE A PENA LER DE NOVO

 

      Bem, o negócio é o seguinte: a Marcinha, visitante/comentarista desse blog e escritora do Fórum Democrático (que tem o link na lista ao lado) propôs uma brincadeira para algumas pessoas e eu fui um dos escolhidos. A brincadeira é republicar um texto que eu já tivesse escrito e que valesse à pena ser lido novamente. Escolhi um de fevereiro de 2006. É um texto que eu gostei bastante e, como na época ainda não tinha os poucos leitores assíduos que tenho hoje, acho que cabe no jogo. Espero que gostem.

     SEMEANDO SENTIMENTOS...

      Cada comparação maluca...

     Eu estava imaginando um SENTIMENTO como uma SEMENTE. Além da semelhança na forma de escrever, as duas palavras tem mais coisas em comum...

     Um SENTIMENTO pode aparecer "do nada", como uma SEMENTE que é levada pelo vento. Basta ter um lugar para germinar e pronto:ele começa a ganhar nova vida...

     Assim como uma SEMENTE, se o SENTIMENTO  for devidamente cuidado ele começa a crescer, a ficar cada vez maior.  Será que o vaso em que está plantado a SEMENTE é de um tamanho suficiente para comportar seu crescimento???   Será que esse SENTIMENTO não é uma  erva-daninha???   Será que essa flor terá espinhos???  Será que essa planta dará frutos???

     Às vezes, nosso coração , que é um músculo (classificado como "músculo involuntário" já que age sem a nossa vontade) parece um vaso em que foi semeada alguma SEMENTE  trazida pelo vento...

O PESO DAS PALAVRAS

 

     Tudo começou por causa de uma simples frase que ele falou:

     “Eu acho que sou o mais ferrado daqui”.

     Foi o suficiente para que ela disparasse sua metralhadora verbal: começou a fazer comparações incomparáveis, coisas sérias que em nada se pareciam com aquela frase simples e cotidiana que ele havia feito. Ela parecia não se importar, dizia que estava com raiva dele, pois esse papo de “ser o mais ferrado” era coisa de quem se faz de coitadinho. E ele, coitadinho que é, não respondeu. Fazia tempo que não era tão atacado verbalmente. Na verdade, nem lembrava quando tinha sido a última vez. Estava ficando com raiva também, mas achou que só um dos dois machucados já bastava.Ela chegou a dizer que eles deveriam “sair na mão”. Talvez ele preferisse, já que sempre achou que as palavras machucam mais que uma agressão física.

     Ele falou o que quis sobre ele mesmo e ouviu o que não quis. Ela falou o que quis sobre ele e não ouviu, já que ele não falou.

     Mas não foi uma surpresa, já que ela havia dito no mesmo dia que é assim desde criança...

LÁ SE VÃO DOIS ANOS...

 

      Hoje, 1º de outubro, o IDÉIAS E IDEAIS comemora 2 anos de existência . Quando comecei a escrever o blog, não sabia bem quanto tempo isso iria durar, mas hoje em dia não penso em abandoná-lo. Nesse período acabei me apegando não só ao blog (demorei para aceitar esse termo, no começo só o chamava de "periódico") mas também aos visitantes-comentaristas que passaram por aqui. Uns mais fiéis, outros turistas, alguns que só visitam e não deixam comentário, outros que deixam comentários bem bacanas e outros ainda que no mínimo dizem "gostei". Para marcar essa data, vou começar a postar os meus textos divididos em categorias, que eu acredito que vá tornar mais fácil para ler sobre determinado assunto. Infelizmente, não é possível organizar os textos já publicados (se alguém souber de uma maneira de fazer isso, agradeço a dica). No mais, quero agradecer todos os que lêem esse espaço, que é muito importante para mim. E que mais anos possam ser comemorados...

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, ITAIM PAULISTA, Homem, de 36 a 45 anos, Música, Arte e cultura, Futebol

 
Visitante número: